quinta-feira, 10 de agosto de 2017

O golpe do PT e Lula do pagamento da Dívida Externa.

Quando Lula assumiu o governo em 2003, a Dívida Interna era de US$630 bilhões.
Em 2008 essa dívida passou para US$ US$850 bilhões.
Então, Lula anunciou o pagamento do FMI (que cobrava 4,5% de juros ao ano) e a Dívida Interna pulou para US$1,4 TRILHÕES... 
Sabem porque?
Lula negociou com os amigos banqueiros, que adquiriram títulos da dívida pública emitidos possibilitando assim saldar a dívida com o FMI, passando a Dívida Externa a ser Interna.
Quais as vantagens?
Permitiu ao demagogo se jactar de que havia saldado a Dívida Externa, sem contudo revelar o custo de 19,5% de Juros cobrados pelos novos credores, agora internos!!!
Hoje, a conta está em US$3,7 TRILHÕES!
Entenderam?
O Brasil antes pagava módicos 4,5% de juros ao ano e os novos cobram 19,5%.
Esse foi o custo para aquele FDP dizer que tinha saldado a dívida externa e colher dividendos políticos com isso.
Só que não! Eles, os petistas, fizeram uma farra tão colossal com os dinheiros públicos, que o Brasil VOLTOU A SE ENDIVIDAR externamente!!! Isso mesmo: OUTRA dívida externa foi INTEIRAMENTE FORMADA PELOS GOVERNOS DO PT, no valor US$316 bilhões (e com uma única obra inaugurada nos 13 anos daquele período maldito: A porte Anita Garibaldi, em Laguna-SC e, ainda assim, superfaturada como todas as outras obras nunca concluídas).
Lula e seus asseclas são LESA-PÁTRIAS que deveriam enfrentar um pelotão de fuzilamento!
E não adianta querer que qualquer um que assuma o abacaxi do Executivo venha ter algum desempenho. Eu tenho até dó do Drácula que, além de ser odiado pela esquerda e pela direita e pelo povo, quando deixar o cargo será fatalmente condenado.
E sabem QUEM vai pagar (e já está pagando) essa conta? VOCÊ!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Fascista! Reacionário!

Ontem eu estava vendo umas matérias a respeito de como a possibilidade da pré-candidatura do hoje deputado federal Jair Messias Bolsonaro tem incomodado toda a esquerda e uma boa parte do centrão.
Ocorre que, em um desses comentários, o autor revela seu esquerdismo incrustado ao proferir duas palavras chaves e reveladoras de vermelhos: "fascistas" e "reacionários".
Dentre outras, essas palavras entregam mais que machão que dá gritinho quando vê uma barata.
E eu não resisti, claro, e mandei o seguinte:

"'... jovens reacionários com tendências fascistas.'
Duas palavras chaves e sexagenárias, dos anos 1950, de Nikita Sergeievich Kruschev (Никита Сергеевич Хрущёв), cuja filosofia e ideologia deveriam estar enterradas desde a queda do Muro da Vergonha em 1989 e que revelam o quão "papagaio" é o autor desse texto: "reacionários" e "fascistas".
Ambas são usadas como xingamentos por ignorantes (que, como papagaios, repetem mantras desde aqueles anos, nunca se atualizando), sem ao menos se aprofundar para saber o que vem a ser uma e outra coisa.
A primeira, "reacionário", uma forma de tornar pejorativa a resistência liberal à Ditadura do Proletariado, tão sonhada pelos socialistas. Entre eles é um xingamento inominável, mas para seus "ex adversus" é praticamente um elogio, considerando que tal adjetivação deriva do verbo reagir. Assim, para quem não mais acredita (ou nunca acreditou) nos estelionatos ideológicos de Marx (e todos os seus variantes, inclusive a Social-Democracia e o Nacional-Socialismo e o próprio Fascismo), é até mesmo um elogio, vez que ser reacionário significa a qualidade de reagir à toda a ideologia esquerdista, cediçamente inepta à luz da experiência vinda a lume, desde o fracasso da revolução de outubro de 1917 na Rússia, que se autodestruiu em 1989 após a гла́сность e a  перестройка, até a última tentativa desastrosa na Venezuela.
A segunda, "fascista", hoje em dia usada para designar absolutamente TUDO o que venha a colidir com os ideais socialistas e lulopetistas, esquecendo-se que o fascismo, na verdade, é obra de um ex-jornalista socialista-marxista que se tornou cabo atirador na Primeira Guerra Mundial e após o conflito resolveu escrever sua própria adaptação das teorias originais do mestre do engodo alemão (Karl Marx), rechaçando-o, batizando essa sua nova doutrina de "fascismo" (e que foi uma mistura das teorias originais com ideais da Roma imperial antiga e uma boa pitada de sandices). Seu nome, Benito Mussolini, "Il Duce".
O verdadeiro e original motivo pelo qual os socialistas puros odeiam os socialistas do fascismo é esse: a rejeição do mestre original e todas as variações irmãs e as hostilidades mútuas.
Sequer sabem (e nem tem interesse em saber) que suas raizes são comuns (e podres).
Mas por sua natureza, desde os comunistas totalitários até os socialistas fabianos são hostis ao fascismo, porque o inverso é verdadeiro e, pela ignorância e lógica torta daqueles, quem não é marxista é taxado de fascista.
Note-se que usam desse termo como insulto inclusive entre eles: Os marxistas chineses usaram o termo para ultrajar a União Soviética durante a ruptura sino-soviética e, também, os soviéticos usaram o termo para identificar os marxistas chineses.
Como dizem os cearenses, um verdadeiro cu-de-boi.
Assim, xingar liberais capitalistas de "fascistas" só revela uma coisa: total ignorância, fim de argumentação e ânimo em ofender, pois tal ato demonstra insofismavelmente que quem assim age desconhece o que vem a ser fascismo e, via de conseqüência, é um ignorante.
É esquerdista e quer agir como um asno? Basta chamar o pessoal da direita dessas duas palavras adjetivadas e pronto. Parabéns, você conseguiu seu intento."

É isso. ;-)

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Da série "textos que eu gostaria de ter escrito".

Vi um texto genial no facebook, a respeito dos tolos que taxam de odiadores aqueles que conseguem ver adiante da farsa para enganar o mundo não islâmico.

"
Meu querido, por favor, para de falar idiotice e acusar pessoas de discurso de ódio. Não, eu não tenho a solução para os problemas do mundo, talvez nem para os meus próprios eu tenha.
Se eu alerto para o problema da islamização ocidental é para abrir os lindos olhinhos fechados dos sonhadores como você, não se trata de ódio. Raiva mesmo eu sinto de pessoas que ajudam estes terroristas com suas estupidezes e pseudobondades - que aceitam poupá-los de críticas e fingem não enxergar seus irmãos covardemente executados. Pessoas assim, que julgam todos bonzinhos e que só alguns são ruinzinhos - vítimas da sociedade ou de sua opressão inexistente, mas nunca responsáveis por seus atos. O mal é uma realidade inconteste. O mal está implantado no ocidente na forma de duas serpentes demoníacas; o islã e o socialismo - que se completam e hoje se retroalimentam na proporção de seus interesses e sociopatias.
Entretanto, o fato de não ter a solução para esta mega-encrenca ( made by themselves ) pelo que já li sobre o assunto, pesquisei sobre o tema, e vejo com meus próprios olhos a acontecer, sou autorizada a não acreditar em ursos de pelúcia, flores, mensagens de amor, musiquinha, pombinha branca ou correlatos para combater a letalidade de uma ideologia infinitamente mais deletéria e perigosa do que o execrável nazismo. Do que já li e estudei, estes métodos não são os melhores nem são eficazes, acredite! Esta turma já tem mais de 700 milhões de cadáveres em sua continha.
Pensa em medidas efetivas!
Que tal o ocidente começar a deportar terroristas já assim identificados? ( Eles já estão na casa dos milhares na Europa).
Que tal cassar suas nacionalidades ( caso sejam duplas) ?
Que tal deportar toda a família como pena acessória? __ Pois, isto significa o próprio bem estar de futuros terroristas, que tudo recebem dos países que os acolhem.
Que tal punir o terrorismo e planejamento de forma exemplar e sem vitimismo?
Que tal fechar TODAS as mesquitas conhecidas pelo incitamento de ódio aos judeus e cristãos?
Que tal rever a política de imigração em massa? __A tal sociedade multiculturalista é um estrondoso fracasso, meu querido!
Que tal os países ocidentais controlarem suas fronteiras de forma a evitar a entrada de criminosos e terroristas?
Que tal começar a exigir que países muçulmanos recebam seus irmãos de fé?
Que tal começar a pensar numa mudança obrigatória no Corão, sob pena de proibir a teocracia no ocidente?
Que tal cortar os subsídios para a poligamia no ocidente?
Pode ser que estas medidas não resolvam tudo, mas serão mais eficazes do que ursinhos, florzinhas, twittes melosos, cantorias, acender velas e o resto dos procedimentos adotados pelos tíbios ocidentais, que se recusam a enxergar a realidade como ela é.
Nao é ódio, meu filho! É olho!
Você me constrange com a sua estupidez e insensibilidade com relação aos mortos, pessoas inocentes que estão sendo executadas em série, justamente porque o mundo foi tomado por néscios "gente boa“ como você." (Claudia Wild).

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Mis um da série "Artigos que eu gostaria de ter escrito"...

"A NOSSA MORAL E A DELES: Nós queremos bandido na cadeia. Eles querem bandido na Presidência
Se você votou no Aécio, como suponho ser o caso da maioria dos leitores desta coluna, deve hoje estar arrependido por um dia ter acreditado nele. Eu estou, confesso. Se você votou em Dilma-Temer, há uma grande possibilidade de que tenha sofrido um arrependimento semelhante. Entre seres humanos normais, não contaminados pelo vírus da ideologia esquerdista, é assim: você aprende com a experiência e tenta não repetir os mesmos erros no futuro.
A cabeça do militante, porém, não funciona do mesmo modo. A realidade, para ele, é sempre algo que está a serviço da ideologia partidária. Não por acaso, a palavra "mentira" tem a mesma raiz da palavra "mente". O mentiroso existencial acha que o produto da sua mente é superior à própria realidade.
A diferença entre a maioria das pessoas e a elite político-ideológica tem sido exposta com muita clareza nos últimos dias. O cidadão comum, ao notar que o político apoiado por ele na verdade era um pilantra, sente-se traído e deseja que o cara vá para o xilindró. O militante ideológico, quando descobre que o seu líder na verdade é um bandido, revolta-se contra a realidade. Quer punir o juiz, o policial, o jornalista, qualquer um que tenha descortinado a verdade, menos o criminoso. Pelo contrário: o militante quer que o bandido seja presidente!
A pessoa normal aceita a realidade. O militante revolta-se contra ela. Isso tem um nome técnico: gnosticismo.
Para os gnósticos modernos, carpideiras de bandidos, é perfeitamente normal ao mesmo tempo festejar a soltura de José Dirceu e defender a prisão de Sergio Moro. Eles não se arrependem de nada, nunca. E, como não se arrependem, são incapazes de perdoar os erros alheios. Reconhecer os próprios erros e limitações é uma das qualidades que nos tornam humanos. Sem isso, a autoconsciência é substituída pelo auto-engano. Assim é o mundo dos militantes: um mundo sem perdão, o campo de extermínio da personalidade humana.
Se você nunca se arrependeu de nada na vida, tenho más notícias: você não é um ser humano. O processo de arrependimento e perdão integra o núcleo da nossa alma. Do contrário, as pessoas se entredevorariam como serpentes e ratazanas. Não foi por outra razão que os grandes genocídios modernos — o comunismo e o nazismo — se fundamentaram."
(Paulo Briguet, publicado na Folha de Londrina)

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Da série: Crônicas que eu queria ter escrito...

"O calote do século"
Antes que a gente se esqueça, Joesley Batista, da JBS, que já foi um dos “campeões nacionais” do BNDES, é agora campeão internacional do calote, um calote não numa pessoa, numa empresa ou num banco, mas num país inteiro. Um país chamado Brasil, onde não sobra ninguém para contar uma história decente e abrir horizontes.
Enquanto amealhava R$ 9 bilhões do BNDES, mais uns R$ 3 bilhões da CEF, mais sabe-se lá quanto de outros bancos públicos nos anos beneficentes de Lula, Joesley saiu comprando governos, partidos e parlamentares. Quando a coisa ficou feia, explodiu o governo Temer, a recuperação da economia e a aprovação das reformas, fez um acordo de pai para filho homologado pelo STF e foi viver a vida no coração de Nova York.
O BNDES, banco de fomento do desenvolvimento nacional, foi usado para fomento de empregos, fábricas e crescimento nos Estados Unidos, onde Joesley e o irmão, Wesley, usaram o rico e suado dinheirinho dos brasileiros para comprar tudo o que viam pela frente. Detalhe sórdido: os frigoríficos que adquiriram lá competem com os exportadores brasileiros de carne. Uma concorrência para lá de desleal.
Eles se negam a pagar os R$ 11 bilhões do acordo de leniência com a PGR, até porque o dinheiro público camarada do Brasil foi usado para sediar 70% dos negócios nos EUA, 10% em dezenas de outros países e só 20% no Brasil. Se esses procuradores encherem muito a paciência, eles jogam esses 20% pra lá, fecham as portas e esquecem a republiqueta de bananas.
Além de sua linda mulher (como nos clássicos sobre gângsteres), Joesley levou para a grande potência seu avião Gulfstream G650, de 20 lugares e US$ 65 milhões. Também despachou num navio para Miami seu iate do estaleiro Azimut, de três andares, 25 lugares e US$ 10 milhões. Quando enjoar de Nova York, vai passar uns tempos nos mares da Flórida.
Enquanto arrumava as malas, Joesley aplicou US$ 1 bilhão no mercado de câmbio, fez megaoperações nas Bolsas e ficou aguardando calmamente o Brasil implodir no dia seguinte, para colher novos milhões de dólares. E deixou para trás sua vidinha de açougueiro no interior de Goiás, uma sociedade pasma e um monte de interrogações.
Por que, raios, Lula e o BNDES jorraram tantos bilhões numa única empresa? Joesley podia usar o dinheiro com juros camaradas e comprar aviões e iates para uso pessoal? Os recursos não teriam de gerar desenvolvimento e emprego para os brasileiros? E, se o seu amigão (como dos Odebrecht) era Lula, a JBS virou uma potência planetária na era Lula e se ele diz que despejou US$ 150 milhões para Lula e Dilma Rousseff no exterior, por que Joesley, em vez de gravar Lula, foi direto gravar Temer?
Mais: como um biliardário, que adora brinquedos caros e sofisticados, partiu para uma empreitada de tal audácia com um gravadorzinho de camelô? Como dar andamento e virar o País de ponta-cabeça sem uma perícia elementar na gravação? Enfim, por que abrir monocraticamente um processo contra o presidente da República? E, enquanto Marcelo Odebrecht conclui seu segundo ano na cadeia, já condenado a mais de 10 anos, os Batista estão livres da prisão, sem tornozeleira e sem restrição para sair do País.
Nada disso, claro, significa livrar Aécio ou Temer, que tem muchas cositas más a explicar, como R$ 1 milhão na casa do coronel amigo, R$ 500 mil da mala do assessor Rocha Loures, um terceiro andar do Planalto onde assessores só produziam escândalos.
A sociedade, porém, reage mal ao final feliz dos Batista. A não ser que não seja final ainda, pois a homologação do STF é uma validação formal, mas cabe ao juiz, na sentença, fixar os benefícios da delação. Em geral, o juiz segue os termos do acordo original, mas não obrigatoriamente, e pode haver, sim, fixação de penas. Oremos, pois!
(Eliane Cantanhêde)

domingo, 14 de maio de 2017

Meus comentários sobre o interrogatório de Lula de 10/05/2017


- Quanto ao que comentou Reinaldo Azevedo:
"Impróprios são esses comentários de Reinaldo. 
O Juiz da causa é a pessoa que tem que formar opinião e não o público.
Tal juiz (e somente ele) tem todo o conjunto probatório à sua disposição e, para emitir julgamento, necessita de todos os dados que puder adquirir; o réu deve satisfazer as necessidades de conhecer do juiz, ou seja, o réu deve ESCLARECER as dúvidas do juiz que o interroga ou manter-se silente.
Pertinente ou não é ele, o juiz, é quem sobre isso decide, pois a dúvida da indagação no interrogatório não é nem da defesa nem da acusação, mas exclusivamente do julgador.
Quando o juiz indefere perguntas da defesa ou da acusação em um depoimento (que não é o caso), o faz porque assim ELE o julga.
Finalmente, não se tratou de depoimento, mas de interrogatório previsto em lei. Interrogatório é ato do JUIZ, no qual não reperguntam a defesa nem a acusação.
Parece que Reinaldo tem tesão para ser versado em Direito. Até que leva jeito. Mas, por enquanto, comenta sobre o que não conhece (ou pior, ACHA que conhece)."

- Ainda sobre as bobagens de Reinaldo Azevedo:
"O Reinaldo Azevedo está me lembrando aquele cara que falava um monte de bobagens sobre esportes, um tal de Cajurú (um cara que não considerava automobilismo ou box como esportes e outras sandices) e que tinha um defeito comum a ele, Reinaldo: o de se considerar o arauto da razão e sabedoria. Defeito pior do que não saber é o de achar que sabe! É bem a cara deles dois. Bem... O Cajurú já foi para a vala dos esquecidos/desacreditados/f***** e o Reinaldo, se não se conscientizar, pode ser que vá pelo o mesmo caminho ao mesmo destino."

- Quanto ao número de desempregados citados por Lula, que excede em duas vezes a população brasileira:
"Independente dos méritos e objetivos de um interrogatório... A capacidade de tentar enrolar de Lula se compara à sua ambição e à sua estupidez aritmética (mas é nela que ele escorrega).
Como é que um país de 207 milhões tem 600 milhões de desempregados?
Ele já lançou mão disso antes. 
É um padrão. 
Vejam vocês e tirem suas conclusões: (video do youtube) "

- Quanto a se enganar quanto às tentativas de discurso político no interrogatório:
"Foi só um interrogatório de um réu. Faço isso todos os dias, com uma diferença: o juiz que inquiriu Lula é muito delicado. É até delicado demais. Tanto que foi necessário o Prof. René Ariel Dotti intervir para lembrar que estavam todos diante de uma autoridade constituída no exercício de suas funções e que merece respeito. Ele mesmo, o juiz, não estava usando nem 1/10 do poder que lhe é conferido e que geralmente eu enfrento no meu dia-a-dia.
Como o próprio termo diz, tratava-se de um interrogatório, previsto em lei.
Seu objetivo é saciar as interrogações/dúvidas do juiz da causa para que este forme um contexto que permitam seu julgamento. E por causa do direito constitucional da não obrigação do réu em fazer prova contra si, num interrogatório a ele é permitido mentir ou se calar sendo que quanto a isso não haverá conseqüências, ao contrário de uma confissão: unica coisa que em um interrogatório gera conseqüências.
Num depoimento, o depoente tem o compromisso de dizer a verdade (sob pena de ser processado) e as partes podem participar, fazendo reperguntas e policiando, pela ordem e pedindo a palavra, a pertinência das questões.
Não foi o caso.

A oitiva de Lula, não foi um depoimento: foi um interrogatório comum a todos os réus nessa fase processual.

Nele é vedada à defesa e à acusação reperguntarem ou interferirem sobre a pertinência da interrogação como se faz em um depoimento (em que o depoente tem a obrigação de dizer a verdade). As indagações, no interrogatório, interessam única e exclusivamente a quem irá julgar a causa e podem ser respondidas com o silêncio.
É o momento de esclarecimentos entre julgador e réu, com a oportunidade inclusive de desabafos (inclusive os mendazes) deste último. 

A propósito do silêncio (que não tem conseqüências ao contrário da confissão), ela e é muito (ou extremamente) recomendável, diante do perigo de confissão involuntária, como de fato ocorreu quando Lula, no final da inquirição sobre o apartamento, distraidamente confessou com todas as letras "Não sei se o senhor reparou, MAS O APARTAMENTO FOI COMPRADO EM NOME DE DONA MARISA"... Essas dezesseis palavras a ele custarão muito caro...

Finalmente, há que ressaltar que esse singelo desfecho é o principal escopo do interrogatório que, neste caso concreto durou horas."

Esclarecendo sobre o que é um interrogatório:
"Vocês sabem o que é um interrogatório de um réu?
Pois bem: num interrogatório o réu pode dizer o que quiser, ou mentir o quanto quiser e se defender verbalmente o quanto quiser, sem sair do escopo do interrogatório. Na verdade, num interrogatório, SOMENTE UMA COISA tem conseqüências: a confissão.
Em outras palavras, no interrogatório o Réu só não pode confessar. Confessou, acabou.
E, no que diz respeito ao apartamento, justamente isso o que houve: confissão.
Lula afirmou com todas as letras: 
"Não sei se o senhor percebeu, mas o apartamento FOI COMPRADO EM NOME DE DONA MARISA".
Pronto.
Todas aquelas outras perguntas levaram a esse desfecho singelo, mas JURIDICAMENTE PODEROSO.
Moro, com seu jeito manso, sabendo disso, passou rapidamente para outro tópico."

Confissão de Lula, que disse com todas as letras que o apartamento foi comprado em nome de Dona Marisa:
Trecho da confissão de lula quanto ao casal ter comprado o apartamento: (video do youtube)

terça-feira, 9 de maio de 2017

Cheguei à conclusão de que o islam não é, definitivamente, uma religião de paz, tampouco tolerante (tanto com outras religiões quanto ao ateísmo).

Pelo contrário, incita e estimula o ódio, o genocídio, o engodo (além de pedofilia e poligamia).
Leiam estes trechos do Quran e tirem suas próprias conclusões:
"Sabei que aqueles que contrariam Alá e seu mensageiro¹ serão EXTERMINADOS, como o foram os seus antepassados; por isso Nós lhes enviamos lúcidos versículos e, aqueles que os negarem, sofrerão um afrontoso castigo." Alcorão, Surata 58,5
"Ó fiéis, COMBATEI os vossos vizinhos incrédulos para que sintam severidade em vós; e sabei que Alá está com os tementes." Alcorão, Surata 9,123
"Mas quanto os meses sagrados houverem transcorrido, MATAI os idólatras, onde quer que os acheis; CAPTURAI-OS, ACOSSAI-OS e espreitai-os; porém, caso se arrependam, observem a oração e paguem o zakat, abri-lhes o caminho. Sabei que Alá é Indulgente, Misericordiosíssimo." Alcorão, Surata 9,5
"Ó fiéis, NÃO TOMEIS POR AMIGOS os JUDEUS nem os CRISTÃOS; que sejam amigos entre si. Porém, quem dentre vós os tomar por amigos, certamente será um deles; e Alá não encaminha os iníquos." Alcorão, Surata 5,51
"MATAI-OS onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, MATAI-OS. Tal será o castigo dos incrédulos. Alcorão, Surata 2,191
"E COMBATEI-OS até terminar a perseguição e prevalecer a religião² de Alá. Porém, se desistirem, não haverá mais hostilidades, senão contra os iníquos." Alcorão, Surata 2,193
"Anseiam (os hipócritas) que renegueis, como renegaram eles, para que sejais todos iguais. Não tomeis a nenhum deles por confidente, até que tenham migrado pela causa de Alá. Porém, se se rebelarem, capturai-os então, MATAI-OS, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por confidente nem por socorredor." Alcorão, Surata 9,89
"COMBATEI aqueles que não crêem em Alá e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Alá e seu mensageiro¹ proibiram, e nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o Livro³, até que, submissos, paguem o Jizya." Alcorão, Surata 9,29
"O castigo, para aqueles que lutam contra Alá e contra o seu mensageiro e semeiam a corrupção na terra, é que SEJAM MORTOS, ou CRUCIFICADOS, ou lhes seja DECEPADA a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo."
Alcorão, Surata 5,33
"E quem quer que almeje (impingir) outra religião, que não seja o Islam, (aquela) jamais será aceita e, no outro mundo, essa pessoa contar-se-á entre os desventurados."Alcorão, Surata 3,85
O pior é que distorce dão pitaco nas crenças judaico-cristãs, tentando inclusive confundir Javé (YHWH, Deus de Abraão, Isaac, Jacó e Israel) com Allah (Baal, Deus semita da Babilônia antiga e da tribo de Muhammad, cujo símbolo era e continua a ser a meia-lua). Definitivamente NÃO SÃO!
"Ó adeptos do Livro (Torah), não exagereis em vossa religião e não digais de Deus senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi tão-somente um mensageiro de Deus e Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito. Crede, pois, em Deus e em Seus mensageiros e digais: Trindade!Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Deus é Uno. Glorificado seja! Longe está a hipótese de ter tido um filho. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Deus é mais do que suficiente Guardião." Alcorão, Surata 4,171

Dizer o contrário é negar o que está escrito pelo profeta.

Alguns diriam: "Ah, mais a grande maioria dos muçulmanos é de paz..."
A resposta é simples: Ser a pessoa de paz, não significa que sua religião prega a paz. Tal pessoa é pacífica, ou não pratica pedofilia, ou não pratica poligamia, etc., por conta de sua índole, não por conta do que seu profeta instrui e ordena.
Há ainda os que fingem tolerância (e a exigem), para que possam professar sua fé sem ser molestados, (mas enquanto são hipossuficientes). Esta é mais uma das práticas induzidas pelo Quran, em suas suratas 3:28 e 16:106: Tu deves mentir para fortalecer o Islã.

Ainda há quem diga: "Ah, mas também há extremistas entre os cristãos"... 
A resposta também não requer maiores esforços e tem relação com a primeira e pelos motivos inversos: O cristão belicoso assim o é por conta de sua índole pessoal, porque a beligerância e a belicosidade colidem com os ensinamentos dos Evangélios.